Mulheres formam a força do cooperativismo no Vale do Paraíba

Na RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte), a força do setor tem se destacado na realização de sonhos e objetivos de seus associados.


A busca pela autonomia financeira, o carinho por cuidar do coletivo e a vontade de fazer a diferença na vida das pessoas são três características presentes nas mulheres que trabalham no cooperativismo. Na RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte), a força do setor tem se destacado na realização de sonhos e objetivos de seus associados.


Dados do Anuário do Cooperativismo Brasileiro apontam que a força de trabalho feminina representava, em 2019, 35% do total de 332.066 funcionários das cooperativas. Em todo o país, três dos sete ramos do cooperativismo, o percentual de mulheres empregadas supera o dos homens: Consumo (53%), Saúde (64%) e Trabalho, Produção de Bens e Serviços (55%). Um novo levantamento está em produção.


Márcia Antongiovanni da Fonseca era funcionária de um banco privado quando foi convidada pelo diretoria da Cooperemb (Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da Embraer) para trabalhar na instituição. “Estava em busca de desafios. Confesso que não conhecia muito bem o cooperativismo, mas depois que comecei a trabalhar me encantei com a cooperação entre as pessoas em busca de um bem comum. Sou grata às oportunidades de crescimento profissional que tive nos últimos 16 anos. Graças ao meu emprego pude realizar vários sonhos”, disse.


Formada em administração de empresas e pós-graduada em finanças e análise de risco, Márcia é responsável pelo setor de crédito e cadastro, considerado o coração da cooperativa. “Acredito que as mulheres enxergam o lado mais humano. A presença no cooperativismo mostra que podemos ocupar qualquer cargo, inclusive de liderança, e provar que nosso lugar é onde queremos estar, esbanjando competência e qualificação profissional”, afirmou.



Outra apaixonada pelo setor é Ana Caroline Calil de Oliveira, de São José dos Campos. Ela conheceu a cooperativa pelas redes sociais há três anos, quando estava procurando emprego. Atualmente, ela é gerente de relacionamento. “Somos totalmente ouvidas, temos voz para questionar e dar ideias, somos muito valorizadas. O cooperativismo não nos sobrecarrega de metas abusivas. Nos deixa livres para conquistar o nosso espaço. Nunca me senti menor por ser uma mulher aqui dentro”, disse.


A atendente de agência Letícia Christine Silva Vieira deu início à sua vida profissional há 10 anos, quando se candidatou a uma vaga de estágio no Sicoob Cressem (Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores Municipais do Vale do Paraíba e Litoral Norte). Uma década depois, ela comemora a trajetória profissional na cooperativa.


“A força da mulher se destaca em qualquer contexto, mas no cooperativismo é ainda mais significativo e vem tomando cada vez mais força e mostrando o quanto é necessário. A mulher tem a sensibilidade que uma cooperativa precisa, o cuidado, o carinho para entender a necessidade de cada associado, a empatia para ajudar da melhor forma possível”, disse.


Em homenagem ao Dia Internacional das Mulheres, o Sicoob Cressem vai distribuir rosas para as funcionárias das agências e postos de atendimentos presentes no Vale do Paraíba e Litoral Norte.

0 comentário