Quer expandir os negócios? Saiba como funciona o financiamento empresarial não bancário

Conheça as formas de gerar liquidez e recursos financeiros para novos investimentos ou projetos


Expandir os negócios, aumentar a capacidade de produção ou investir para fortalecer a presença da empresa no mercado. Independentemente do objetivo do empreendedor, optar por um financiamento empresarial não bancário é uma das alternativas mais seguras utilizadas para o crescimento econômico da companhia.


Diante do desafio de crescer no mercado e ampliar os serviços ou produtos oferecidos, existem algumas dúvidas e desconhecimento sobre como funciona o financiamento empresarial não bancário. Afinal, como essa modalidade pode contribuir diretamente para alavancar os negócios?


O especialista em investimentos da Monte Bravo em São José dos Campos, Breno Andrade, explicou que o financiamento empresarial não bancário pode ajudar os empreendedores nesse processo, mas o primeiro passo é entender que o ‘financiamento’ é direcionado para gerar liquidez e recursos financeiros para a empresa, com um objetivo a médio ou a longo prazo.


“Nós temos inúmeras formas de fazer isso. Hoje, é muito comum a empresa ir para um veículo convencional (banco), e utilizar os recebíveis como garantia. Nesse caso se o cliente tem recebíveis, ele os coloca em uma operação financeira no banco e recebe o valor que iria receber no futuro, à vista. Isso é bem convencional dentro dos bancos. O brasileiro está mais acostumado a recorrer ao financiamento dessa forma, mas quais são as alternativas?”.


Segundo Breno, dependendo do volume de recebíveis, o empreendedor pode conseguir recursos através de Fidcs (Fundos de Direitos Creditórios), e passa a não depender de um banco. A própria empresa constitui uma estrutura financeira para financiar sua cadeia de fornecedores, clientes e gerar recursos para a empresa.


“Outra opção é buscar no mercado de capitais recursos por meio do CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários), do CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) ou até mesmo uma Debênture, que pode ter incentivos ou não. Esses são alguns dos mecanismos para estruturar ‘dívidas’ utilizando obviamente o balanço da empresa, desde que tenha números bons e boas garantias. Com isso, o empreendedor consegue trazer caixa para a companhia e dar sequência aos seus investimentos”, disse.


O empreendedor também pode utilizar recursos do caixa como uma forma de garantia para não se descapitalizar e ao mesmo tempo gerar liquidez. Essa operação é chamada de “Cash Collateral”. “O empresário ainda pode utilizar imóveis como garantia, numa espécie de hipoteca. Isso é chamado de ‘Home Equity’. Eventualmente você tem um imóvel numa boa localização e não quer desfazer. Nesse caso, ele pode servir de garantia para alavancar recursos, fazendo um financiamento desse imóvel com algumas instituições”, afirmou.


Sobre a Monte Bravo

Com mais de 10 anos de atuação no mercado financeiro, a Monte Bravo é uma empresa de assessoria de investimentos que oferece soluções financeiras e patrimoniais, com foco no atendimento personalizado para cada cliente. Com mais de 450 profissionais em diversas cidades do país, a Monte Bravo oferece Planejamento Patrimonial, Wealth Management e soluções financeiras para indivíduos, suas famílias e negócios.



0 comentário