Startup desenvolve software para alcançar boas práticas ESG na construção civil

Sistema integra setores, automatiza processos e prevê falhas, controlando resíduos sólidos e outros problemas do canteiro de obras




O desenvolvimento de pequenas e médias construtoras tem avançado à medida em que as práticas ESG (sigla em inglês para Social, Ambiental e Governança) são incorporadas. De acordo com um estudo divulgado pelo Boston Consulting Group (BCG), a integração entre dados e tecnologia é o melhor caminho para tirar as metas ESG do papel e fazer disso uma vantagem competitiva no mercado, atraindo o olhar de novos investidores, por exemplo.


As soluções digitais mensuram os procedimentos e resultados com maior assertividade, facilitando a execução da agenda ESG, que envolve, sobretudo, reduzir os impactos ambientais de um setor altamente poluente, e tornar o local de trabalho e os processos internos mais socialmente responsáveis e sustentáveis.


Essa é a proposta da Brickup, startup mineira, de Belo Horizonte, que conecta o canteiro de obras com a gestão do empreendimento por meio de um software. A plataforma foi criada em 2020 com o objetivo de integrar os setores, automatizar os processos operacionais e prever problemas futuros. Segundo Rafael Souza, fundador da Brickup, são esses os três pilares que tornam possível agir estrategicamente para adotar uma mudança de postura baseada na sustentabilidade, responsabilidade e transparência.


Do ponto de vista ambiental, o programa, acessível na palma da mão, auxilia as construtoras a fazerem uma gestão mais eficiente de seus resíduos, que, de acordo com dados do Governo Federal, representam cerca de 50% a 70% de todo o resíduo sólido urbano no Brasil.


Em termos de preocupação com o lado social, o software torna possível realizar a gestão completa dos stakeholders, a partir de relatórios que entregam informações sobre cotações e compras, além de toda a comunicação realizada ao longo da obra. Essas ações refletem em processos menos repetitivos e mais certeiros para uma melhor performance da construtora em diversos aspectos.


“A política ESG vem emplacando um status positivo nas empresas e isso passa uma mensagem positiva para o mercado. Além disso, a automatização dos processos é uma demanda cada vez mais urgente para atender aos desafios globais de sustentabilidade nos aspectos ambientais, sociais e governança”, finalizou Rafael.

0 comentário